Poesia de Recado #4


Recado

Hoje tenho vinte e dois anos

E neles se depositam vontades,

Sonhos vazios e tantas esperanças,

“Vinte e dois? É a melhor das idades.”

Pois é, mas não nestas andanças.

 

Já se quebram os tempos uniformes

Das saídas, das amassos, dos homens,

Agora são só sombras disformes:

Memórias pobres que se oprimem.

 

Não tenho pena nenhuma de mirar

A mudança rápida da fluidez humana.

Tenho mais pena se por aqui ficar,

O insano dos tempos distintos,

Aquele que acredita na felicidade,

Haha, que coisa mais arcana…!

Sintoma próprio de pouca idade.

 

Em mim cabem os sonhos de todos,

E em mim todos eles morrerão,

Dou o corpo às flechas de fogo,

Em cordas de gritos e choros,

E pontas de dolorosa paixão.


JOHNNY SALVATORE

3 thoughts on “Poesia de Recado #4

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s